domingo, 13 de junho de 2010
O Atletismo no Fla sempre foi sinistro


Você certamente já cantou aquele trecho do samba da Estácio de Sá de 95 que diz: "...Gazela negra. Corre o tempo no olhar... ". O que muito pouca gente sabe é da história da tal Gazela Negra. Confesso que também pouco sabia da carreira de Érica Lopes .

Ela chegou do Rio Grande do Sul, depois de passagens no atletismo do Grêmio e do Internacional. Veio ser atleta do Fla em 1960, e desde então tornou-se a maior estrela do Atletismo Rubro-Negro.

Suas especialidades eram os 100 metros e 200 metros rasos. E dentre tantas glórias obtidas, seus maiores títulos são o bi-campeonato Estadual de Atletismo Feminino em 60 e 61 e os Troféu-Brasil de 62 e 65. Além disso, foi Tricampeã Sul-Americana em 61, 62 e 63.

No Tricampeonato Sulamericano conquistado, um jornal da Venezuela estampou no dia seguinte:
" A atleta que corre sorrindo. ".
De fato, ela sorria enquanto voava baixo pelas pistas, o que lhe rendeu o apelido de "Gazela Negra". A movimentação nos músculos faciais ao sorrir a relaxava.

Gazela corria com tanto amor ao Flamengo, que em 1962 chegou a competir no dia do enterro de sua irmã. Em retorno, o então presidente rubro-negro Fadel Fadel, entregou uma honraria à atleta.

Érica Lopes ainda voltaria para ser treinadora do Flamengo em 1974, onde ficaria até os anos 90.

Agora, ao cantar o Samba de 1995 da Estácio, gritarei com mais força e orgulho o nome de Gazela Negra. Realmente Gazela Negra correu " o tempo no olhar ". E correu muito rápido.

4 comentários:

Adryelle disse...

Não conhecia... Mó legal!

Romulo disse...

muito bom o post, é sempre bom conhecer mais da tradição do mais querido

Hiran disse...

BOM!

anderson disse...

espírito rubro negro... bela história

Arquivos do Blog

Parcerias

Adicione nosso logo em seu Blog.