quarta-feira, 1 de setembro de 2010
É um dos primeiros jogos que lembro. É, também, um dos que mais senti o poder que o Flamengo tem.

Lembro que Zagallo, vestindo a mística 13, pulava e gritava como um louco na beira do campo. O Flamengo tomava um sufoco incrível do Cruzeiro, dono da casa.

Flamengo precisava escapar da zona de rebaixamento. Em um certo momento o Mengo tomou o jogo pra si, e em uma das oportunidades, o meia Sérgio Manoel salva as Marias na linha.

Mas quem salvou mesmo, e pro lado do Fla, foi Júlio César. Dizem que foi um dos jogos mais excepcionais do Melhor Goleiro do Mundo.
Ricardinho chuta de fora da área, Júlio César espalma. Ricardinho cabeceia, Júlio César espalma. Cruzeiro cobra falta, e Júlio quase toca no céu pra defender. E consegue. No rebote, a bola raspa na mão dele e explode no travessão.

Uma faixa escrita pelos torcedores do Flamengo dizia: E AGORA ZAGALLO? CADÊ A RAÇA DESSE TIME (sic). Era só olhar pro gol.

No meio do jogo, após um bate-rebate na área, Pet toca de calcanhar pra Roma, que chuta rasteiro e deixa lá dentro.

No último lance do jogo, Sérgio Manoel chuta de fora da área, e como sempre, Júlio fecha. No final do jogo, ele dá uma entrevista chorando copiosamente e dizendo:

- A cobrança é muito grande, e é um incômodo. Você não dorme. Não dá, é uma coisa que só quem tá aqui dentro consegue explicar.

No final do jogo, a torcida gritava: Júlio César é seleção!
Mas isso todos já sabiam.

1 comentários:

Adryelle disse...

fodaaaaaa!

Arquivos do Blog

Parcerias

Adicione nosso logo em seu Blog.